Não deixe o nome te assustar: a Caverna do Diabo é um dos lugares mais lindos que você vai conhecer em suas trips. Além disso, dar um pulinho no Vale das Ostras para ver de perto a Cachoeira do Meu Deus é mais do que válido.

Por isso, a Fully vai te contar algumas curiosidades sobre o Vale das Ostras e Caverna do Diabo incríveis e cheios de energia. Vem conferir!

Caverna do Diabo: a história

A história da Caverna do Diabo envolve doses gigantes de misticidades, lendas e crenças. Localizada no município de Eldorado, interior de São Paulo, foi descoberta há mais de 100 anos, mas já era explorada por indígenas e quilombolas locais.

Sua entrada com temperaturas fresquinhas servia para ajudar na preservação de alimentos da colheita. No entanto, inúmeras vezes esses itens eram encontrados “fora do lugar”. O resultado não foi outro: as lendas de que ali havia uma presença sobrenatural logo se espalharam.

Desde então, o nome ganhou força, principalmente quando aquilo que seria a imagem do rosto do Diabo foi descoberta  em uma das paredes na extensão da caverna.

Além disso, o lugar é tomado por esculturas impressionantes aos olhos. Estalactites, estalagmites, cortinas de pedras e cascatas de calcita formam imagens incríveis e que intrigam até mesmo especialistas.

Informações e curiosidades sobre a Caverna

Poucos sabem, mas a extensão total da Caverna do Diabo é superior a 6 km. No entanto, apenas 600m estão abertos à visitação do público.

Isso porque ela está localizada no Parque Caverna do Diabo, integrado ao mosaico de parques conservados do Jacupiranga. A localização geral é no Vale do Ribeira, região sul do Estado de São Paulo.

Essa é uma das regiões de maior preservação da Mata Atlântica — cerca de 70% de território preservado. O resultado é o contato intenso com uma natureza pura em sua essência.

O Vale das Ostras e a inesquecível Cachoeira do Meu Deus

Não bastasse a beleza original da Caverna, nós ainda nos deparamos com outro paraíso natural: o Vale das Ostras.

Trata-se de uma trilha que segue o Ribeirão das Ostras até a Cachoeira do Meu Deus. E, chegando lá, o nome faz jus à reação: meu Deus, que lugar inesquecível.

Em uma queda visível de 53 m – pois acima há outra queda de mais 30 m, totalizando 83 m -, nossos olhos se espantam com tamanha beleza e dimensão.

Para chegar à sua queda, prepare-se para 1h de caminhada com longas subidas, percursos na água, além de algumas pedras, escadinhas e escaladas. No entanto, é uma trilha de nível fácil e proporciona aventura a todo momento.

O que levar nessa trip?

A grande dúvida universal! A gente sabe, arrumar as malas é sempre um eterno dilema do “vai que eu preciso disso, vai que eu preciso daquilo”… E isso é bastante normal!

Anteriormente, nós já demos algumas dicas do que levar em uma viagem bate e volta. Mas e o que levar em uma trip de trilhas na Caverna do Diabo e Cachoeira Meu Deus? A gente te ajuda! Dá uma olhada nessa listinha básica:

  • Calça leggin ou de tactel para a trilha;
  • Blusas frescas, de preferência com manga longa ou ¾ para se proteger do sol e dos pernilongos;
  • Sapato fechado (dê preferência ao tênis) para a caminhada;
  • Outro sapato para o final da trilha – passamos por água, então você sentirá a necessidade de trocar;
  • Boné ou chapéu para se proteger;
  • Protetor solar;
  • Toalha e roupa de banho por baixo, caso queira se banhar na cachoeira;
  • Lanchinho como chocolate ou barrinha de cereal para recuperar as energias no retorno;

Um ponto de atenção bastante importante é: leve o necessário. Como mencionamos, a trilha é de 1h e com bastante subidas e obstáculos. Nada impossível, mas uma mochila pesada e cheia de coisas que não serão utilizadas no percurso pode atrapalhar e tornar o percurso mais cansativo.

No mais, leve animação e disposição! 🙂

Próximas saídas com a Fully Viagens

Ficou curioso(a) para essa trip? Então acesse o nosso site e confira a próxima saída para o Vale das Ostras e Caverna do Diabo com a Fully Viagens.

Pacotes para a Caverna do Diabo e Cachoeira Meu Deus com um preço incrível é aqui!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *