Se você quer viver uma experiência única a menos de 200 km de distância, uma excursão para Campos do Jordão é a solução.

Nós já apresentamos todas as curiosidades encantadoras de Campos e você com certeza já se apaixonou pela cidade, não é mesmo?!

Hoje nós vamos te mostrar o porque você deve aproveitar o final de semana em Campos do Jordão. Vamos conferir?

Coisas para fazer em Campos do Jordão

Campos do Jordão é uma linda cidade recheada de pontos turísticos. Logo, quando fazemos uma viagem bate e volta para lá, curtir de verdade a cidade pode ser um passeio um pouquinho corrido.

Listamos as principais coisas para fazer em Campos do Jordão em um final de semana para aproveitar tudo o que temos direito. Olha só:

A vida noturna para todos os públicos

Muitas vezes Campos do Jordão foi taxada como uma cidade extremamente romântica, perfeita para casais.

E realmente é, pois possui inúmeras paisagens que lembram as cidadezinhas europeias, cheias de charme e fofura.

No entanto, a vida noturna de Campos é para todos os públicos. No Capivari, bairro central da cidade, as opções variam e atendem aos mais diversos gostos.

O local conta com diversos barzinhos e restaurantes. Esse acaba sendo o passeio preferido de quem vai a Campos: aproveitar a noite com um belo vinho ou degustando um fondue em meio aos demais visitantes.

Curtir o verdadeiro friozinho de Campos

Campos do Jordão é famosa pelo frio atípico presente em todas as épocas do ano. A cidade, por possuir uma altitude de 1628 metros, apresenta baixas temperaturas. No entanto, esse frio acontece com mais intensidade à noite — principalmente quando não estamos no verdadeiro inverno.

Portanto, quando passamos o final de semana lá, temos a chance de sentir o verdadeiro frio em Campos do Jordão.

Fábricas de chocolate: as delícias de Campos

Outra característica marcante de Campos do Jordão são as fábricas de chocolate. A precinhos incríveis, as variedades lá existentes permitem voltarmos com as malas literalmente recheadas de doces.

Para isso, é legal reservar um tempinho que seja suficiente para visitar todas as opções — Loja da Spinassi, Araucária e Cacau Show são alguns dos destaques incríveis.

Teleférico do Morro do Elefante

Por fim, temos o teleférico do Morro do Elefante. Nós já falamos um pouquinho sobre esse lugar incrível em nossas “Dicas para aproveitar Campos do Jordão”, porém ele merece destaque.

A visão incrível do lugar é parada obrigatória e inesquecível de cada visitante da cidade. Portanto, reserve um tempinho para esse passeio também.

Final de semana em Campos do Jordão com a Fully Viagens

A Suíça Brasileira pede uma ida com tranquilidade para conhecer cada lugarzinho incrível que ela nos reserva.

Portanto, um pacote para Campos do Jordão no final de semana é a melhor forma de conhecer tudo de lindo dessa charmosa cidade.

Decreto confirmado: viajou para o Peru? Então sua próxima parada é a Rainbow Mountain. Conhecida como “Montanha Vinicunca” ou das “7 Cores”, a paisagem encanta os olhos e intriga seus visitantes.

A Montanha Arco-Íris merece a fama que leva a nível mundial. Sua beleza exuberante impressiona e faz acreditarmos que foi pintada à mão!

Para você descobrir mais curiosidades sobre esse lugar incrível, separamos algumas informações bem bacanas. Confira!

Uma corzinha de história

A Rainbow Mountain é, atualmente, um dos principais pontos turísticos de Cusco. Mas o que poucos sabem é que ela foi descoberta em 2013 e aberta à visitação somente em 2016.

Os moradores locais contam que antes a montanha era toda coberta de gelo e neve. Por conta do aquecimento global, houve o derretimento das geleiras e o resultado foi um espetáculo para os nossos olhos.

Mas como a montanha ganhou cores que parecem ter sido pinceladas à mão?

A explicação científica para o fenômeno é a reação química de vários minerais à água e ao oxigênio. E o resultado é o nosso fascínio por essa mistura incrível de cores.

Como chegar na Rainbow Mountain

A primeira informação que você precisa ter em mente é a distância de Cusco à Rainbow Mountain. São 3 horas de viagem — de carro. Por isso, o melhor método de chegar até lá é contratando um transfer ou uma agência especializada. Fica tranquilo(a) que em nosso pacote você já pode incluir o ingresso! 😉

Ao chegar, encontra-se um pequeno povoado local para tomar um café da manhã reforçado para seguir. É comum encontrar o chá de coca (falamos sobre ele no artigo “Dicas para sua viagem à Machu Picchu”) para aliviar os sintomas de soroche — mal-estar causado pela altitude.

De lá, a trilha para a Rainbow Mountain está à 15 minutos de caminhada. E aí sim começa o “verdadeiro” trajeto: 10 km de ida e volta.

O tempo varia muito de acordo com o ritmo de cada pessoa. Em média, são 3h para ir, 2h30 para voltar. Enquanto na subida é preciso parar algumas vezes para respirar um pouco melhor, na volta o trajeto é bem mais tranquilo.

Vale ressaltar que a Montanha Colorida está à uma altitude de 5.100 acima do nível do mar. Portanto,  respeitar os limites do corpo é fundamental durante todo o trajeto.

Dicas para ir à Montanha Colorida no Peru

Como você pôde perceber, para chegar à Rainbow Mountain existem alguns fatores que exigirão um pouquinho mais de você. Para ajudar, separamos dicas para ir à Montanha Colorida no Peru:

  • Leve bastante água, pois a altitude e a sequidão da região vão lhe causar muita sede;
  • Lanchinhos energéticos como chocolate e barrinha de cereal são ótimos para fornecer energia ao corpo;
  • Respeite os limites do seu corpo e as dificuldades do percurso. Mas acredite no seu potencial e mantenha-se motivado para chegar o mais longe que conseguir;
  • Vista-se literalmente com camadas de roupa. Quanto maior a altitude, maior será o frio, mas o esforço da caminhada pode esquentar a temperatura do corpo e você pode sentir calor;

E, por fim, prepare-se para uma das vistas mais lindas que seus olhos já viram! Então, dá uma olhadinha no nosso pacote para Machu Picchu e arrume suas malas. Nós queremos dividir com você essa experiência incrível! <3

Não deixe o nome te assustar: a Caverna do Diabo é um dos lugares mais lindos que você vai conhecer em suas trips. Além disso, dar um pulinho no Vale das Ostras para ver de perto a Cachoeira do Meu Deus é mais do que válido.

Por isso, a Fully vai te contar algumas curiosidades sobre o Vale das Ostras e Caverna do Diabo incríveis e cheios de energia. Vem conferir!

Caverna do Diabo: a história

A história da Caverna do Diabo envolve doses gigantes de misticidades, lendas e crenças. Localizada no município de Eldorado, interior de São Paulo, foi descoberta há mais de 100 anos, mas já era explorada por indígenas e quilombolas locais.

Sua entrada com temperaturas fresquinhas servia para ajudar na preservação de alimentos da colheita. No entanto, inúmeras vezes esses itens eram encontrados “fora do lugar”. O resultado não foi outro: as lendas de que ali havia uma presença sobrenatural logo se espalharam.

Desde então, o nome ganhou força, principalmente quando aquilo que seria a imagem do rosto do Diabo foi descoberta  em uma das paredes na extensão da caverna.

Além disso, o lugar é tomado por esculturas impressionantes aos olhos. Estalactites, estalagmites, cortinas de pedras e cascatas de calcita formam imagens incríveis e que intrigam até mesmo especialistas.

Informações e curiosidades sobre a Caverna

Poucos sabem, mas a extensão total da Caverna do Diabo é superior a 6 km. No entanto, apenas 600m estão abertos à visitação do público.

Isso porque ela está localizada no Parque Caverna do Diabo, integrado ao mosaico de parques conservados do Jacupiranga. A localização geral é no Vale do Ribeira, região sul do Estado de São Paulo.

Essa é uma das regiões de maior preservação da Mata Atlântica — cerca de 70% de território preservado. O resultado é o contato intenso com uma natureza pura em sua essência.

O Vale das Ostras e a inesquecível Cachoeira do Meu Deus

Não bastasse a beleza original da Caverna, nós ainda nos deparamos com outro paraíso natural: o Vale das Ostras.

Trata-se de uma trilha que segue o Ribeirão das Ostras até a Cachoeira do Meu Deus. E, chegando lá, o nome faz jus à reação: meu Deus, que lugar inesquecível.

Em uma queda visível de 53 m – pois acima há outra queda de mais 30 m, totalizando 83 m -, nossos olhos se espantam com tamanha beleza e dimensão.

Para chegar à sua queda, prepare-se para 1h de caminhada com longas subidas, percursos na água, além de algumas pedras, escadinhas e escaladas. No entanto, é uma trilha de nível fácil e proporciona aventura a todo momento.

O que levar nessa trip?

A grande dúvida universal! A gente sabe, arrumar as malas é sempre um eterno dilema do “vai que eu preciso disso, vai que eu preciso daquilo”… E isso é bastante normal!

Anteriormente, nós já demos algumas dicas do que levar em uma viagem bate e volta. Mas e o que levar em uma trip de trilhas na Caverna do Diabo e Cachoeira Meu Deus? A gente te ajuda! Dá uma olhada nessa listinha básica:

  • Calça leggin ou de tactel para a trilha;
  • Blusas frescas, de preferência com manga longa ou ¾ para se proteger do sol e dos pernilongos;
  • Sapato fechado (dê preferência ao tênis) para a caminhada;
  • Outro sapato para o final da trilha – passamos por água, então você sentirá a necessidade de trocar;
  • Boné ou chapéu para se proteger;
  • Protetor solar;
  • Toalha e roupa de banho por baixo, caso queira se banhar na cachoeira;
  • Lanchinho como chocolate ou barrinha de cereal para recuperar as energias no retorno;

Um ponto de atenção bastante importante é: leve o necessário. Como mencionamos, a trilha é de 1h e com bastante subidas e obstáculos. Nada impossível, mas uma mochila pesada e cheia de coisas que não serão utilizadas no percurso pode atrapalhar e tornar o percurso mais cansativo.

No mais, leve animação e disposição! 🙂

Próximas saídas com a Fully Viagens

Ficou curioso(a) para essa trip? Então acesse o nosso site e confira a próxima saída para o Vale das Ostras e Caverna do Diabo com a Fully Viagens.

Pacotes para a Caverna do Diabo e Cachoeira Meu Deus com um preço incrível é aqui!

Você já sabe o por que Machu Picchu deve estar na sua lista de lugares para conhecer, certo?! Portanto, nós separamos algumas dicas para sua viagem!

Desde as paisagens incríveis à história repleta de misticidade e encantos, a cidade atrai turistas durante todo o ano. Mas é importante atentar-se a diversos fatores: clima, altitude, temporada;

Por isso, a Fully Viagens vai te ajudar a se organizar em sua viagem! Confira as dicas para Machu Picchu!

O clima de Machu Picchu

Sabe aquela história de viver diversas estações em um único dia? Machu Picchu tem um pouco disso!

As temperaturas variam de 6ºC durante a noite, à 21ºC no decorrer do dia. No verão, essa mudança brusca é mais perceptível ainda, com dias bastante calorosos.

O clima da cidade é predominantemente seco. Mas isso, é claro, varia com a temporada. De maio a outubro temos os meses mais frios, bem como o período de seca.

Essa é a melhor época para conhecer Machu Picchu. Nos outros meses do ano, a chuva dá suas caras quase todos os dias — o que torna as trilhas cansativas e até mesmo mais arriscadas.

Soroche: cuidados com a altitude local

Machu Picchu possui uma altitude de 2.430m. Para você ter uma ideia, a cidade com maior altitude do Brasil, Campos do Jordão, possui 1.628m.

Ou seja, a altitude da cidade peruana é realmente alta. E, como nosso corpo não está acostumado, essa brusca diferença pode nos trazer alguns mal-estares. Então, cuidados são necessários.

O mal de altitude é conhecido como soroche. Seus sintomas são: dores de cabeça, vômitos, tontura e náuseas. Mas calma! A maioria das pessoas sentem os sintomas mais leves, como uma dor de cabeça amena e pouca náusea.

E esse mal estar normalmente passa rapidinho: de 4 a 24 horas você já estará bem, totalmente recuperado.

Algumas táticas ajudam a amenizar (e muito) o mal-estar. São elas:

  • Beba muita água;
  • Ao chegar em Cusco, procure fazer passeios leves. O city tour é uma opção bacana pois, no geral, é fundamental estar descansado antes do passeio principal;
  • Não tome remédios para dormir, pois influenciarão na frequência respiratória — e você vai precisar dela bem estável para lidar com o ar mais rarefeito;
  • Mascar folha de coca ou fazer chá da propriedade é uma das soluções para aliviar os sintomas, portanto aposte nisso;
  • A alimentação deve ser leve e o consumo de bebidas alcóolicas não é recomendado.

A junção de todos esses detalhes podem te ajudar a aliviar e até mesmo prevenir um intenso mal-estar.

O que levar no passeio à cidade sagrada?

O passeio em Machu Picchu e no Vale Sagrado é bastante longo — são algumas boas horas de caminhada. Mas, é claro, a paisagem e o trajeto fazem cada minuto valer a pena.

No entanto, é importante ir preparado para isso. Vista roupas e, principalmente, calçados confortáveis. Bonés e chapéus também são importantes para proteger-se do sol. Protetor solar é indispensável!

Além disso, é importante levar água, lanchinhos e principalmente um chocolate e/ou barrinha de cereal. Toda fonte de energia é muito bem-vinda para suprir o desgaste.

Há lugares para comprar comida, mas avisamos desde já: os preços são surreais. Melhor evitar a fadiga, né?!

Leve seu passaporte e carimbe Machu Picchu

Para entrar no parque, você deve apresentar o documento que informou na compra de seu ingresso. No entanto, a nossa dica extra é: leve seu passaporte.

Logo na entrada, à partir das 9h, você vai ver uma fila que direciona à uma mesinha. Lá é possível carimbar uma folha inteirinha com Machu Picchu no seu histórico de viagens. Quem não quer uma lembrança incrível dessas estampada?!?!?!

Seu pacote para Machu Picchu está aqui na Fully

Com essas dicas para Machu Picchu, ficou mais fácil se organizar para sua viagem à cidade perdida dos Incas?!

Então dá uma olhadinho em nosso site, pois o seu pacote para Machu Picchu está aqui. Acesse e garanta sua vaga!

25 quilômetros de espetáculo natural: é o que a ilha mais famosa do Brasil nos reserva. Localizada no município de Paranaguá, a Ilha do Mel é um dos destinos favoritos dos amantes da natureza.

Sua história e preservação agradam os ouvidos de quem se encanta facilmente com as dádivas do meio ambiente. Um passeio que garante aventura e sossego simultâneos — poderosas fontes de energia para o corpo e a mente.

Se você sabe muito pouco ou nada sobre esse destino incrível, calma! A Fully vai te apresentar* as curiosidades e tudo o que você precisa saber sobre a Ilha do Mel. Confira!

*Alerta: risco de querer arrumar as malas terminando essa leitura.

Ilha do mel: estrutura de preservação

A Ilha do Mel é bastante conhecida pela sua alta preservação ambiental. Isso porque somente 10% de seu território está disponível para visitação do público. O restante é todo preservado visando a manutenção do território.

O máximo de visitantes por dia é de 5 mil pessoas, exatamente pelo intuito de proteção ao local. Para chegar até lá, é feita uma travessia de meia hora, saindo de Pontal do Sul.

Localizada a 120 km de Curitiba, a ilha passa por constantes melhorias em toda a sua estrutura. Como as paisagens exóticas e rústicas passaram a atrair mais e mais visitantes, a infraestrutura começou a se voltar para o turismo.

Consequentemente, a qualidade dos serviços ali oferecidos também evoluíram. Logo, restaurantes e pousadas aprimoraram de acordo com a alta demanda.

A divisão em vilarejos

A ilha é basicamente dividida em 5 vilarejos. São eles:

  • Encantadas: localizada no lado sul da ilha, abriga o maior patrimônio cultural de Ilha do Mel — a Gruta das Encantadas. Uma passarela leva até sua entrada, proporcionando um ar ainda mais especial. A noite a diversão é garantida por forrós e bares.
  • Farol: o Farol das Conchas está localizado no alto do Morro da Concha. Dali, é possível avistar quase toda a extensão da Ilha do Mel. A região é pouquíssima habitada, por tanto é um lugar bastante tranquilo, adorado pelos surfistas para excelentes ondas.
  • Brasília: aqui temos uma das principais vilas da Ilha. O local é todo destinado aos turistas, pois conta com pousadas incríveis e restaurantes deliciosos, além de uma vida noturna mais agitada. Além disso, é por ali que seguimos rumo ao Farol e à Fortaleza.
  • Praia Grande: se o Farol já tem uma população bem pequenina, espante-se em saber que a da região de Praia Grande é menor ainda. Consequentemente, sua infraestrutura é menos desenvolvida — mas ainda assim conta com pousadas, bares e restaurantes. Aqui é um dos melhores locais para surfe, com uma grande extensão de praia.
  • Fortaleza: a Fortaleza de Nossa Sra. dos Prazeres leva esse nome pois seu complexo é formado pelo Forte de N. S. dos Prazeres. Ela é dividida em Fortaleza Norte e Fortaleza Sul, com uma população pequena e poucos atrativos no quesito comercial. No entanto, ela está bem próxima a Baía dos Golfinhos, repleta de cardumes de botos.

Dicas de viagem: Ilha do Mel

Como mencionamos, a Ilha do Mel é bastante preservada e o plano é que siga assim. Portanto, nem sempre você vai encontrar tudo o que pode vir a precisar. Então anote dicas importantes que você precisará em sua viagem à Ilha do Mel.

Em primeiro lugar, leve remédios para casos aos quais já está acostumado. Não há farmácias na Ilha do Mel!

Dinheiro em espécie também é importante, pois a cidade não conta com infraestrutura de bancos ou caixas eletrônicos.

Por fim, lembre-se sempre de respeitar a natureza em todos os aspectos. Portanto, recolha seu lixo, não alimente os animais, não desperdice água. Além disso, respeite o mar. Tome cuidado com as correntezas e com os locais que apresentam mais rochas e pedras.

No mais, essa é uma trip bem tranquila e, como mencionamos no começo, propícia para curtir ao máximo o contato com a natureza.

Mais um destino para adicionar à sua lista de desejos

Deu para sentir um pouquinho do que a Ilha do Mel reserva para seus turistas, né?! Esse é, com certeza, mais um destino para adicionar à sua lista de desejos.

Acesse o site da Fully Viagens e confira as próximas saídas para a Ilha. Vem com a Fully!

Se você quer conhecer um pouquinho mais sobre a cultura e os costumes de uma cidade, visite uma feirinha de rua. A Feira de San Telmo, em Buenos Aires, é um ótimo exemplo disso!

Um lugar tradicional para qualquer visitante da capital argentina e que não pode ficar de fora do roteiro!

Por isso, a Fully Viagens separou algumas dicas e curiosidades sobre uma das feirinhas de rua mais famosas do mundo! Confira =)

Um pouco da história da Feira de San Telmo

A história da Feira de San Telmo tem início em 1970, na Plaza Dorrego. Tudo começou com a ideia de vender antiguidades: só era permitida a venda de objetos com mais de 70 anos.

Precisamos ressaltar que, até hoje, os fundadores da feirinha buscam manter a regra. Afinal, o charme principal é exatamente esse!

Ainda que tivesse um lugar fixo, os anos trouxeram popularização à feira. Portanto, ela foi se expandindo de maneira gigantesca.

Hoje ela se estende por nada mais, nada menos que NOVE quarteirões. Em toda essa dimensão, chegou até a Plaza de Mayo, sede do governo argentino.

Além disso, no caminho podemos avistar outros locais históricos da cidade, como o Mercado San Telmo. Com exímia tradição, o local funciona desde 1860.

Tudo que encontramos por lá

Como é de se esperar, a feirinha tem inúmeras barraquinhas que vendem coisas típicas da cultura argentina. E lá nós encontramos de tudo!

Começando com os itens de decoração, você vai se perder com tanta fofura distribuída pela extensão. Placas antigas, pinturas, LPs personalizados, antiguidades, imãs de geladeira… São inúmeros objetos e você, com certeza, vai querer levar alguns na mala!

Anteriormente, nós já falamos sobre La Casa Del Dulce de Leche e sua variedade infinita de doces argentinos. No entanto, na Feira de San Telmo em Buenos Aires também é possível encontrar diversas sobremesas típicas.

Ainda no que diz respeito à gostosuras, a feirinha dispõe de inúmeras barraquinhas de comida de rua em sua dimensão. Além disso, ao redor existem cafés e restaurantes deliciosos para fazer suas refeições.

Por fim, o destaque vai para as manifestações artísticas. Ah, Buenos Aires… <3

Durante toda a feira avistamos músicos, artistas, bandas, dançarinos e até mesmo orquestras espalhando cultura para todos os lados!

A experiência é realmente encantadora e carregada de um clima agradabilíssimo.

A famosa estátua da Mafalda

Ainda na Feirinha de San Telmo, há uma outra atração super requisitada: a estátua da Mafalda.

Uma escultura de 80 centímetros que mostra a personagem de um dos quadrinhos mais famosos do mundo sentada em um banquinho. Criada em 2009, no ano de 2014 Mafalda ganhou companhia: seus dois amiguinhos Manolito e Susanita chegaram para agregar!

Uma fofura, não é mesmo?!

Conheça muito mais sobre a Argentina no blog Fully

Confessa pra gente, você está encantado(a) né?! Fique de olho em nosso blog e descubra mais curiosidades incríveis sobre a Argentina.

Ah, e não se esqueça: seu pacote para Buenos Aires está aqui na Fully! Acesse e garanta já seu próximo destino.

Conhecida como cidade maravilhosa, o Rio de Janeiro merece a titularidade que recebe. Por isso, reunir algumas dicas sobre o local te ajuda a aproveitar ao máximo a capital carioca.

Afinal, entre o Cristo Redentor e a Pedra do Arpoador, o que não falta no Rio são pontos turísticos imperdíveis.

A Fully Viagens listou as principais dicas de passeio no Rio de Janeiro para você se divertir muito. Confira!

Corcovado e Cristo Redentor

Não tem como pensar em Rio de Janeiro sem lembrar do Cristo Redentor, não é mesmo?! Considerada uma das novas sete maravilhas do mundo, essa é a nossa primeira dica de viagem.

A construção do Cristo durou 9 anos. Sua inauguração oficial foi em 1931, celebrando a ideologia de paz que o projeto trazia.

O incrível monumento, que inclusive é um dos Patrimônios da Humanidade da UNESCO, fica no ponto alto do Morro do Corcovado. Essa é uma das maiores áreas verdes urbanas — o Parque Nacional da Tijuca. Seus 30 metros levam à uma exibição incrível de tudo aquilo que a capital carioca oferece.

Para realizar a visita ao Cristo Redentor, o horário é das 08h às 19h diariamente. Lá existem diversas opções de restaurantes e lanchonetes, mas não esqueça de levar água: afinal, as temperaturas da cidade carioca são mais elevadas. Portanto, manter-se hidratado é fundamental.

As duas praias mais bonitas do Rio de Janeiro

Não restavam dúvidas de que a segunda dica já abraçaria as praias mais bonitas do Rio de Janeiro: Ipanema e Copacabana. Sem contar que também são famosas mundialmente — e a gente vai te mostrar que não é à toa!

Praia de Copacabana

A marca registrada dessa praia é o calçadão de Copacabana. A Praia de Copa promete inúmeras opções de lazer: tanto mais agitadas, quanto mais tranquilas. Logo, tudo depende do que você procura!

O Posto 2 é o mais badalado, já bem próximo ao Copacabana Palace. Mas um dos grandes objetivos de todo turista está mais à frente, no Posto 6. Sim, estamos falando da estátua de Carlos Drummond de Andrade.

Por fim, se você deseja ficar em um lugar mais tranquilinho, o Leme é uma excelente escolha.

Praia de Ipanema

A praia de Ipanema é coisa mais linda, cheia de graça! Uma das praias mais famosas do mundo e com uma vista incrível para seus visitantes.

O bairro de Ipanema foi fundado em 1894 e, assim como a anterior, a, é uma região nobre e boêmia, repleta de diversidade e atrações.

O Posto 9 da praia de Ipanema é um dos mais badalados, com muito agito. Porém, em toda sua extensão encontramos opções culturais e muuuuuuito entretenimento.

A magia da Pedra do Arpoador

A terceira dica é para você guardar a memória (foto também, ok?!) de um dos entardeceres mais lindos da sua vida! E o exagero nem passou por aqui, viu?!

O pôr do sol no Arpoador é uma experiência que não pode ficar de fora na sua excursão para o Rio de Janeiro.

A pedra do Arpoador fica em um dos extremos da Praia de Ipanema. De lá, observar o Morro Dois Irmãos quando o sol decide dar uma brechinha é realmente compensatório.

Não é à toa que até Cazuza fazia do Arpoador parte do seu show, não é mesmo?!

Para aproveitar muito mais do Rio de Janeiro

Ok, até aqui temos quatro passeios já considerados imperdíveis. Mas a gente sabe que o Rio de Janeiro tem muito mais a oferecer. Afinal, essa é uma das cidades mais famosas do mundo.

Então, nós da Fully Viagens te convidamos a conhecer muito mais com a gente. Em nosso pacote para o Rio de Janeiro, estão inclusos dois passeios de city tour que passam por nada mais, nada menos que:

  • Corcovado – Cristo Redentor;
  • Maracanã (externo);
  • Sambódromo;
  • Escadaria Selarón;
  • Catedral Metropolitana;
  • Museu do Amanhã (externo);
  • Boulevard Olímpico.

Isso, é claro, sem contar nas praias que tanto fizemos propaganda gratuita (e faremos sempre, pois somos apaixonados por elas!!!).

Portanto, acesse nosso site (clica aqui!) e garanta já o seu.

Um lugarzinho encantador no meio da Serra e do Litoral parece até um sonho, não é mesmo?! Assim é Morretes. Parte da história do Paraná, a pequena cidade promete paisagens naturais e um clima colonial.

E o melhor: bem pertinho de Curitiba. A cidade está localizada a apenas 1h30 da capital paranaense. Portanto, além de um espetáculo natural, a viagem curtinha vale muito a pena.

Para você conhecer um pouquinho mais sobre essa parte histórica do Paraná, a Fully Viagens trouxe curiosidades encantadoras sobre Morretes. Vamos conferir?!

Um jeitinho colonial único

Das principais particularidades de Morretes, podemos ressaltar o jeitinho colonial único da cidade.

Isso porque ela está localizada em um dos trechos mais preservados do Brasil, rodeada pela mata Atlântica e também pela Serra do Mar Paranaense.

Na cidade, vemos casarões e restaurantes com perfis antigos e clássicos, o que enaltece ainda mais o ar colonial.  

Fundada em 1733, as construções antigas de Morretes abrigam tanto o comércio local quanto eventos culturais que preservam uma identidade de riqueza histórica.

Barreado, o tradicional prato do Paraná

Você com certeza já ouviu falar no Barreado, não é mesmo?! Um prato típico do Paraná, mas você sabia que seu município de origem é Morretes?

Diariamente, turistas nacionais e internacionais visitam a cidade com o principal intuito de degustar o prato.

A receita é bem simples: carne, condimentos e farinha de mandioca. O segredo é a mistura desses ingredientes de forma bem elaborada e paciente. O resultado? Milhares de pessoas apaixonadas pelo prato.

A viagem de trem: trajeto Curitiba-Morretes

Como mencionamos, o destino fica bem pertinho de Curitiba — apenas 1h30 de distância.

No entanto, além das belezas naturais da cidade, Morretes nos agracia com o trajeto de trem até a capital e vice-versa.

Então, ao visitar Curitiba, não deixe de fora a ida até a cidade. O passeio bate e volta dura um dia, mas com direito à parada para deliciar-se nos restaurantes do local e degustar o maravilhoso Barreado.

Aqui, o trajeto é um pouquinho mais extenso e a viagem pode durar até 4h caso o trem enfrente tráfego. No entanto, as paisagens prometem distrair o suficientemente. Não é a toa que esse é considerado um dos passeios de trem mais bonitos do Brasil!

Passe por túneis, pontes, desça a Serra do Mar e encante-se com a maior reserva contínua da mata Atlântica. Além disso, durante o trajeto, um guia nos fornece informações sobre a história de cada lugarzinho. Vale – e muito – a pena!

Pacote para Curitiba e Morretes é aqui na Fully

Ficou fácil decidir qual será o seu próximo destino, né?! Consulte em nosso site as próximas saídas e pacotes para Curitiba e Morretes e prepare-se para se apaixonar pelas cidades paranaenses.

Aproveita e confere aqui as melhores dicas de viagem para Curitiba.

Praticamente todas as cidades têm algo que as represente através do mundo todo, não é mesmo?! Buenos Aires não é diferente! O Obelisco é um monumento histórico com muita representatividade para a cidade.

A visita até este local durante sua viagem à capital argentina é basicamente uma obrigatoriedade. Além de todo o clima cultural e memorável que o local proporciona, a foto em frente à escultura é clássica!

É como ir ao Rio e conhecer o Cristo, Paris e a Torre Eiffel, São Paulo e o MASP… Já viu que não dá para perder, né?!

Pensando nisso, a Fully Viagens vai contar um pouquinho mais sobre a história do Obelisco de Buenos Aires. Além disso, vamos mostrar curiosidades que irão despertar ainda mais sua vontade de conhecer o local. Dá uma olhada! 😉

A história do monumento argentino

A construção do Obelisco foi um presente aos 400 anos da fundação de Buenos Aires. Com período de construção surpreendente (de março a maio de 1936), a obra foi estruturada pelo arquiteto Alberto Prebisch.

O local onde foi erguido o monumento é onde a bandeira nacional foi hasteada pela primeira vez em território argentino.

Além disso, seu endereço é o ponto de cruzada das duas principais avenidas da cidade — 9 de Júlio e a Avenida Corrientes. O encontro destas duas avenidas é um polo de riqueza cultural e comercial argentino. Ali temos a “Plaza de la Republica”, uma das principais praças da cidade.

É possível avistar o Obelisco de diversos pontos do centro da cidade, devido à sua altura de incríveis 67,5 metros.

Curiosidades sobre o Obelisco

O Obelisco de Buenos Aires traz história em sua construção, mas também fez a sua própria no decorrer dos anos.

Isso porque durante seus primeiros três anos de existência, a Câmara dos Vereadores local decretou que o monumento deveria ser demolido. No entanto, a decisão foi anulada pelo intendente daquela época — a história agradece!

Na atualidade, o Obelisco traz consigo outras duas características bastante marcantes para a cidade.

A primeira é que ali tornou-se um marco para grandes manifestações políticas e sociais, além de comemorações de torcidas esportivas. Afinal, o futebol na Argentina tem tanto significado quanto para nós aqui no Brasil!

Em segundo lugar, podemos destacar as várias “carinhas” que o Obelisco recebe. Isso porque através dele, a cidade realiza homenagens visíveis a nível mundial, bem como abraça campanhas de conscientização, vestindo o monumento.

A visibilidade é gigante, como no Cristo, RJ, e na Estátua da Liberdade, NY, por exemplo.

Outra curiosidade do Obelisco é que ele possui uma única porta de entrada, de frente para a Avenida Corrientes. Logo atrás, está a escada que leva ao topo, com 206 degraus (divididos entre 7 paradas de descanso).

No topo, há um mirante com quatro janelas para todas as direções da cidade.

Vem conhecer o Obelisco de Buenos Aires e muito mais com a Fully

E aí, gostou de saber um pouquinho mais sobre o Obelisco argentino? Dá uma olhada nesses outros posts e prepare-se para sua viagem à Argentina:

-> La Casa del Dulce de Leche – doces argentinos em um só lugar

-> Aposte na diversão: conheça o Cassino Flutuante de Buenos Aires

-> Um show de sabores e tango: conheça o Madero Tango

Seu pacote para Buenos Aires está aqui e promete ser incrível! Acesse nosso site e confira!

Há muitos anos Curitiba, PR, é considerada uma das melhores cidades para se viver no Brasil. Qualidade de vida, desenvolvimento, educação e diversidade cultural são pontos de destaque para esse fator.

E é claro: o bem-estar dos moradores da capital paranaense transcende as fronteiras. Logo, o resultado é uma vontade enorme de conhecer essa cidadezinha que promete variedade para todos os gostos.

Pensando nos viajantes prontos para ir à Curitiba, a Fully Viagens separou as melhores dicas de viagem para o destino. Saiba onde ir, o que fazer e o que é imperdível. Confira!

Lugares que você precisa visitar em sua excursão para Curitiba

A capital paranaense é cheia de passeios turísticos e lugares históricos para conhecer. Portanto, você não vai querer perder nada em sua viagem para Curitiba, né?! Abaixo, listamos os principais deles, olha só!

Jardim Botânico

O Jardim Botânico de Curitiba é um dos mais bonitos do país. Isso porque, além da construção surpreendente aos olhos, o local abriga uma quantidade diversificada de espécies da Mata Atlântica.

Isso, é claro, sem levar em consideração os jardins geométricos e esculturas espalhadas por todo o monumento. Portanto, esse é o lugar que podemos cravar: você PRECISA conhecer.

Ópera de Arame

Cercada de um cenário verde, a Ópera de Arame também nos surpreende com sua arquitetura única. O local abriga dois teatros que são palcos de espetáculos e eventos culturais dos mais diversos tipos.

O restaurante Ópera Arte, localizado neste espaço, promete almoços deliciosos do cardápio curitibano por preços justíssimos!

Museu Oscar Niemeyer

O Museu Oscar Niemeyer leva o nome de seu fundador. Essa é uma obra icônica e digna de visitação, onde é possível apreciar exposições culturais diversas.

Mas vale ressaltar: a construção por si só já merece toda a visitação. Com um belo espaço verde na área externa e bares do outro lado da rua, é um ótimo passeio em Curitiba.

Restaurante Madalosso

O tradicional Restaurante Madalosso está localizado em Santa Felicidade, bairro curitibano. Conhecido internacionalmente, o restaurante tem mais de 4 mil lugares, recebendo cerca de 50 mil pessoas por mês com uma deliciosa gastronomia italiana. Além disso, o serviço e o atendimento são pontos fortes e diferenciados do local.

Dá uma olhadinha no site do Restaurante Madalosso para ficar com água na boca!

Hard Rock Café

A única unidade do Hard Rock Café no Brasil está localizada em Curitiba!

É isso mesmo. Nada de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília… A unidade de um dos restaurantes temáticos mais famosos do mundo está na capital paranaense. Logo, essa informação por si só já é válida demais para programar uma visitinha!

Check-list básico de informações sobre Curitiba

O que achou destes 5 lugares para visitar em Curitiba? Incríveis, não é mesmo?!  

Mas, aqui vão mais 3 dicas para sua excursão para Curitiba ser total alegria:

  • Não esqueça o casaco! Das coisas imprescindíveis para se levar à Curitiba são as blusas de frio; o clima muda drasticamente e vive-se 4 estações em um único dia — longe de nós exagerar.
  • A cidade não pára por causa de chuva. Nós estamos acostumados com São Paulo que, além de ser dona da garoa, não dorme. Portanto, vá sabendo que Curitiba também não nega agito por uma gotinha ou outra.
  • Curitiba é um dos maiores exemplos de cidade limpa. Portanto, jogar lixo no chão é imperdoável. Aliás, a gente pode trazer essa ideia na bagagem de volta também, que tal?

E aí, ficou mais fácil saber o roteiro da sua trip para a capital paranaense? Então dá uma olhadinha nas próximas saídas e pacote de viagem para Curitiba que a Fully preparou com direito a todos esses passeios. Acesse e garanta já o seu!